O câncer é uma doença causada por mutações no DNA das células de uma determinada parte do corpo. Pouco se sabe, no entanto, sobre as mutações específicas de cada tipo de tumor, ou mesmo quais são os fatores que levam a essas alterações no DNA. Isso significa que a medicina ainda sabe muito pouco sobre o câncer – apenas alguns tipos chegam a ser completamente conhecidos.

Sabe-se, por exemplo, que os componentes químicos presentes no cigarro podem causar mutações genéticas nas células do pulmão e, assim, desencadear um câncer. Ou mesmo que os raios ultravioletas provocam alterações no DNA das células da pele capazes de causar o câncer de pele. Porém, os fatores que impulsionam as mutações relacionadas aos demais tipos de tumores continuam desconhecidas.

Jogada de mestre ­— Um novo e importante estudo publicado nesta quarta-feira na revista Nature fornece pistas importantes sobre a origem dos trinta tipos mais comuns de câncer. Segundo a pesquisa, existem 21 tipos de mutações no DNA capazes de desencadear a doença e explicar a origem de praticamente todos os tipos de câncer. O trabalho foi coordenado pelo Instituto Wellcome Trust Sanger, na Grã-Bretanha, e contou com a colaboração de especialistas de centros de pesquisa de todo o mundo.

Nesse estudo, os pesquisadores conseguiram explicar a causa de dez dessas mutações: entre elas, idade avançada, exposição a raios ultravioletas, cigarro e uso de uma droga chamada temozolomida. Como o estudo avaliou todos os tipos de câncer de maneira geral, acredita-se que, no futuro, em estudos específicos, todas essas mutações genéticas sejam associadas a suas respectivas causas.

Em outras palavras, isso quer dizer que os dados levantados pela pesquisa podem tornar possível que o DNA de um paciente com qualquer tipo de câncer revele qual foi a origem da doença. Com isso, os médicos poderão descobrir mecanismos de prevenir todas as formas da doença e de encontrar os melhores tratamentos para cada paciente a partir do seu material genético.